Pesquisar

O Semáforo e as Eleições
04/10/2014

Reprodução integral de matéria publicada no Jornal Cruzeiro do Sul, de Sorocaba e região, em 04.10.2014.
 
O semáforo e as eleições.

 
Estive participando tempos atrás de um evento em Acapulco, no México, e em resposta a uma pergunta sobre o futuro do país depois das próximas eleições presidenciais, um dos palestrantes, importante economista mexicano, disse: "um povo que julga o sinal vermelho do semáforo como opção, e não como obrigação, sempre deixa uma incógnita sobre seu futuro".
 
Nestes dias de reflexão, diante do maior compromisso cívico que cada brasileiro vai cumprir neste domingo, 5 de outubro de 2014, não pude deixar de pensar no futuro do Brasil. No quanto parcela expressiva dos cidadãos brasileiros deixam de respeitar as mais comezinhas regras de comportamento e convivência. Os exemplos se multiplicam diariamente em nossas vias onde se pode observar a forma agressiva e perigosa com que pessoas normalmente educadas dirigem seus veículos, sejam eles pequenas motos ou grandes ônibus ou caminhões. Há desrespeito pelas placas indicativas de velocidade máxima e pelas faixas de trânsito; são realizadas ultrapassagens perigosas e muitas vezes em locais proibidos; a distância mínima entre os veículos é ignorada, etc.
 
O pensamento e comportamento deste tipo de motorista exatamente revelam a forma dele ser, algo como: os meus direitos são sempre maiores do que o do outro motorista (cidadão). Incrível como este tipo acha natural que ele faça de tudo, mesmo infringindo leis e regras, para ser o primeiro da fila. Furar a fila, mesmo ultrapassando pelo acostamento enquanto muitos têm de esperar o tráfego seguir, parece o certo para este tipo. Este tipo de motorista, que cada vez mais cresce, me faz pensar que o Brasil se transformou numa Nação de "espertos".
 
Ora, se no pequeno mundo do uso do nosso veículo muitos brasileiros são essa demonstração de total incivilidade, como poderemos exigir de nossos maiores representantes (que vão ser eleitos neste domingo) comportamento diferente?
 
Para que o Brasil possa ser transformado em uma nação verdadeiramente civilizada e desenvolvida; educada e próspera; respeitadora das regras que garantem o bem-comum de todos os seus cidadãos, devemos começar essa mudança pelos pequenos detalhes: parafraseando o palestrante mexicano, eu digo, um primeiro passo é respeitando o sinal vermelho do semáforo. Lembrando a campanha municipal de trânsito, do qual o Instituto Defenda Sorocaba foi parceiro de primeira hora da Urbes (que gerencia o trânsito e transporte em Sorocaba), também digo: a transformação do Brasil começa pelo motorista que respeita a faixa dos pedestres.
 
Na hora do voto, portanto, faça essa analogia: veja qual dos candidatos age com respeito para com o cidadão e escolha aquele que respeita as regras. Faça sua parte.
 
Sergio Antonio Reze

IDS
 




« Voltar