Pesquisar

Prefeitura e Defenda Sorocaba lançam programa Escola Viva
08/02/2014

Conheça a seguir a reportagem do Jornal Cruzeiro do Sul, de Sorocaba e região, do dia 08.02.2014.

Pannunzio, o empresário Sérgio Reze e os secretários, entre eles da Educação e Cultura, foram surpreendidos com performance!

Fábio Rogério - Carlos Araújo - carlos.araujo@jcruzeiro.com.br

Em meio a uma apresentação coletiva, com direito à intervenção artística, a Prefeitura e o Instituto Defenda Sorocaba lançaram ontem o programa Escola Viva, que terá a participação de 8 mil alunos da rede municipal (de um total de 50 mil) do 1º ao 5º ano do ensino fundamental. O programa une três projetos já em funcionamento nas escolas municipais: Oficina do Saber, Clube da Escola e Roteiro Educador.

A iniciativa partiu do conceito de Cidade Humana e Educadora, utilizado para promover uma educação que leva em conta as múltiplas dimensões da formação humana por meio de ações pedagógicas. Segundo a Prefeitura, o objetivo é explorar para além da escola toda a riqueza cultural, social e ambiental do município.

Para falar do programa, o prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB) e o empresário Sérgio Reze, presidente do Instituto Defenda Sorocaba, reuniram-se no gabinete do prefeito com outros secretários, entre eles José Simões (Educação) e Jaqueline Gomes da Silva (Cultura). De repente, para a surpresa de todos, o clima solene foi interrompido por gritos de um homem na porta que dá acesso ao gabinete. A surpresa foi esclarecida com a entrada de um ator e uma atriz do projeto Vai lá!. O ator interpretava um empresário que tinha um projeto de cortar todas as árvores da cidade, e a atriz era uma aluna de escola que o contestou e fez o empresário fictício deixar a sala debaixo de vaias.

Sobre o ruído provocado pelos dois atores na entrada do gabinete, Pannunzio admitiu a surpresa e disse que antes da entrada dos atores ficou preocupado. "Não sendo falta de água...", comentou, referindo-se a protestos contra desabastecimento de água ocorridos nas últimas semanas. A performance abordou um tema ambiental, que faz parte dos conceitos do programa Escola Viva.

Falando sobre o programa Escola Viva, Simões descreveu: "O Escola Viva tem atividades que ocorrem no contraturno das nossas escolas. Você tem aula e depois você tem o período da tarde. Nós vamos ter dentro da Oficina do Saber eixos de conhecimento para leitores, clube de ciências, clube de matemática, corporeidade e arte, enriquecendo o currículo dos nossos alunos."

Aos sábados é a hora do Clube da Escola, que funciona em doze escolas com atividades como judô, caratê, inglês. E o Roteiro Educador leva as crianças para visitas ao Parque Tecnológico, ao Zoológico Quinzinho de Barros e a espetáculos de teatro.

Uma das gestoras do Escola Viva, Valdirene Aparecida Nicolau Nóbrega Antunes, disse que com esse conjunto de atividades as crianças se tornam mais criativas, observadoras e desenvolvem o comportamento.



De acordo com Simões, agora toda a organização das atividades passa a ter um só local, que é a secretaria da Educação, e se compõe de outras ações. Estão previstas parcerias como o projeto Vai lá! e ações de formação em arte.

Sérgio Reze informou que o Instituto Defenda Sorocaba se aliou em parceria com a Prefeitura no programa Escola Viva porque a sua atuação vai além dos debates sobre problemas da cidade nas áreas de urbanismo, construção, loteamentos e plano diretor. "A proposta do Instituto é participar da vida social e comunitária da cidade, criticando quando precisa criticar e apoiando quando tem necessidade de apoiar", disse.

Pannunzio disse que espera que o Escola Viva ajude na formação das crianças abrindo oportunidades de elas conhecerem Sorocaba, no que a cidade tem de bom em tecnologia, artes, memória, e pela oportunidade de assistir a espetáculos. Disse que o objetivo também é valorizar a questão ambiental.




« Voltar